Páginas

segunda-feira, 25 de julho de 2011

As divas também dizem adeus.


(23/07/2011)
Nos deixa hoje uma das maiores artistas de todos os tempos. Amy Winehouse, com sua aura tão dramática e ao mesmo tempo tão absolutamente rica de talento, deixou-se bater á porta da morte.
Não há substitutos á altura do talento, expressão e verdade que transmitem sua músicas, cantadas por uma alma despida de pudor. O que para muitos era apenas uma estratégia de marketing tornou-se o pior inimigo da maior estrela da cena musical dos ultimos tempos.
O personagem Amy, tantas vezes parodiado maldosamente finalmente confirmou-se como seu "eu" real. A criatura mata o criador e dilacera nossos corações tão sedentos por alguma verdade musical que é quase impossível de se encontrar nos dias atuais.
Amy Winehouse era a única cantora com menos de trinta anos que pode ser comparada á ícones como Janis Joplin (minha heroína). E, sinceramente, não acredito que haja outra ainda neste século.
Em uma indústria descartável como a da musica, nossa diva se provou sólida e impecável ao lançar "Back to Black" e adquirir cinco EMI's, o Oscar musical.
O vozeirão que saía do franzino corpo de Amy se calou, emudecento de susto um planeta inteiro que a conhecia inteira, pura, real e despida de caricaturas.
Não tenho palavras para expressar meu pezar por essa perda tão dolorosa, que abre um buraco na cena musical mundial, um vazio que significa que jamais teremos notícias da nossa pequena e brilhante escabelada.
Amy Winehouse marcou muito a minha vida e tenho certeza que a de muitas outras pessoas também. Ela me deu um presente inesquecívelmente gratificante: a possibilidade de poder retribuir a cultura e riqueza musical que recebi de meus pais com nomes como Beatles, Janis Joplin, Bob Dylan e Rolling Stones.
Jamais pensei que haveria, na minha geraçãom algum artista que eu pudesse orgulhosamente apresentar a meus pais e Amy me provou que era a única.
Nos deixa a herança mais valiosa que podia: dois álbuns repletos de canções irretocáveis e tão absolutamente auto-biográficas que permitirão ás próximas gerações conhece-la tão bem quanto a nossa.
É com lágrimas nos olhos e um nó na garganta que anuncio que nossa pequena diva travessa, "Back to Black".

Nenhum comentário:

Postar um comentário