Páginas

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Freedom


É tempo de novas experiências. Demorei um bom tempo para escrever sobre o ano novo, mas como a redatora temperamental que sou, não trabalho sobre pressão.

Hoje a sensação que tenho é que deveria ter aproveitado anos novos passados para começar algo novo e não tentar reciclar o que já se perdeu. Nesse ano tudo será absolutamente diferente do que foram os ultimos para mim, nesse ano eu serei feliz. Não feliz no sentido de ter tudo o que eu quero, mas no sentido amplo da palavra, absolutamente realizada e sem nada para me fazer chorar. Para 2011 quero novos amigos, novas festas, novas experiencias e, principalmente (ou desesperadamente) um novo amor, um amor que tem meu nome e meu cheiro, que tem minha cor e meu jeito de sorrir.
A sensação é de quem já fez pedidos demais a estrelas cadentes e cansou de acreditar que as coisas podem mudar somente com a força do pensamento, é preciso mais do que isso, é preciso atitude, vontade e dedicação.
2011 já é, por si só, um ano novo para mim. Vou alcançar a maioridade e aprender a dirigir, vou poder entrar onde eu quiser e ser presa se assim merecer. Nesse ano o elo que me mantem próxima aos meus pais se rompe e então eu poderei cuidar do meu nariz e ser quem eu quiser.

Nesse ano eu desejo todas as experiências boas que terei a vocês, que acompanham meu coraçãozinho desde o inicio. Riam, dançem, cantem, corram, vivam! Porque temos pouco tempo nesse mundo e eu aposto que você não vai querer perder nada! Então, que 2011 venha cheio de diversões perigosas e excitantes e tudo isso sem a menor responsabilidade!

Vão ser gauches na vida,
um beijo em cada um.

Tanara

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Garotas correndo na estrada são anjos pervertidos.

Sabem de uma coisa? Todos os homens são iguais. Suponho que já tenham chegado a essa conclusão, só não pararam de procurar "a exceção" e ainda insistem em acreditar que poderão mudar algum deles um dia.
Mas, minha querida leitora, preciso lhe dizer uma coisa absolutamente essencial para a segurança do seu coração: nenhum deles mudará, nenhum deles é a excessão e nenhum presta.
Ainda que seja bastante doloroso aceitarmos essa dificil realidade, a de que nós, mulheres, somos os únicos seres no mundo capazes de entender aquela velha citação que o padre faz no altar. Somos as únicas capazes de amar, respeitar e lhes ser fiel na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza por todos os dias de nossas vidas. É triste, mas é um fato.
Você pode se decidir por continuar sua incansável busca pelo principe encantado (que só a desencantará), pela sua exceção que se tornará regra logo logo, pelo "certo" que será tão errado quanto os outros ou então optar.
Sim, as escolhas não são tão difíceis e as opções são as seguintes: ou você resolve igualar-se a eles e divertir-se com cada bonitinho que encontrar, ou conforma-se em ficar com um cafajeste que você ame do que com um cafajeste qualquer.
Sei que parece bastante triste ouvir isso de uma garota de apenas 17 anos, mas a vida foi prematura comigo e me mostrou isso logo cedo. Não acho que tenha sido ruim, assim posso passar essa informação crucial a vocês, mulheres que, como eu, acreditaram em algum homem algum dia.
Mas querem saber qual foi a minha escolha? Optei por aquilo que faz meu coração vibrar. Já conheci muita gente nessa vida, homens, mulheres, crianças, idosos e de todas elas, sem exceção, apenas uma fez meus olhos brilharem. Ainda que essa criatura desprezível não valha o cigarro que fuma, serve pra me fazer feliz.
Acho que entenderam onde eu quis chegar: optem por aquilo que faz seus corações vibrarem. Já que nada vai faze-las plenamente felizes, escolham o que lhe faz sorrir e não o que lhe mantém eternamente adormecida.

Um beijo,
Tanara.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Close your eyes, there's nothing we can do.

Eu queria ser absorvida pela Terra, chamada pela mãe, Gaya, ouvir dela que meu mártiri acabou.
Queria acordar do outro lado da vida e ter a certeza de que meu coração já foi velado e enterrado, queria sumir.
Só queria passar um dia em paz, queria que alguém viesse até mim e dicesse: "acabou, não precisa mais chorar. Fique quietinha, vou tira-lo de você e não vai doer nada."

Mesmo que não houvesse mais o que bater aqui dentro, mesmo que meus olhos jamais mudassem de cor outra vez, eu só queria que o mundo parasse pra eu descer.
O cansaço que eu carrego nos meus frágeis ossos é algo que me tira a vontade de tudo, só me faz desejar quebrar-me em um milhão de pedaçoes e me espalhar por aí.
É hora dessa criança louca aceitar que nunca foi amada de verdade, feche seus olhos, não há nada que possamos fazer.