Páginas

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Azar e saudade.


Hoje eu olhei no espelho e vi uma garota e ela não sabia se precisava, se amava mais ela mesma ou você.
Sinceramente ela estava confusa e no seu raio x não conseguiram encontrar seu coração, apenas fragmentos escuros, quase imperceptíveis. Como algumas coisas são inexplicáveis! Mesmo que você tenha partido seu coração ela ainda no ama com cada pedaçinho que restou.
Nossos sentimentos são como mosaicos e nós, como artesãos. Você quebrou minha obra de arte muitas vezes e eu a reconstruí e presenteei-o novamente. Mas com o passar do tempo seu jeito desastrado já não me dava tempo de secar a cola... e então eu passei a cortar meus dedos para refazer meu coração com vidro mais resistente. Foi então que você começou a não dar tempo nem mesmo para que meus cortes cicatrizassem e eu juntei tudo outra vez e guardei comigo. Se você não tinha cuidado com tudo de mais precioso que pude te dar, então ao menos merecia ficar sem durante algum tempo.
O problema é que você não se importou em ficar sem meu coração, apenas procurou outro para por no lugar, e acabou quebrando este também. Mas a artesã não era tão insistente, ela apenas juntou seus cacos, refez e presenteou outra pessoa, alguém que cuidou dele como se fosse uma dádiva divina.
Hoje talvez eu tenha te magoado, mas seu coração nunca foi meu para que pudesse esbarrar nele e quebrar. Você continua apenas com raiva, orgulho ferido e sendo hipócrita o bastante para dizer que não me perdoa, que não vem mais me ver e tampouco está ligando para o que eu sinto ou deixo de sentir.
E eu estou aqui outra vez, sentada quietinha e tapada, depois de ficar nervosa o bastante a ponto de vomitar. Mas você não está nem aí, pouco se lixando para tudo o que eu engolí por sua causa, despedindo-se de mim com um "beijos tanara, boa sorte com seus pais".
O que me faz repensar se você ainda quer me ver, se ainda pensa em mim, porque eu penso tanto em nós dois que chega a doer.
Entendo que você não esteja bem comigo, entendo até que não queira mais me ver. Só queria que soubesse que a cola já secou e meus dedos já cicatrizaram, Baby, vem me ver que eu to morrendo de saudades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário