Páginas

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Hoje penso nos teus braços
casulo ue me protege
dos horrores de mim mesma

Sozinha sou um perigo
com todos os pensamentos
desbravados em memórias
que nem mesmo existiram

Te pensava eu como a paixão
que é um moleque atrevido
batendo na porta pra depois correr

Mas a campainha tocou
e continuavas lá
suave e adulto
como o amor

Dizer "eu te amo" dormindo
me define

Sou o medo e a entrega
vivendo num corpo de menina
me assusta o depois
e só penso no agora

A melancolia das incertezas
me varre a noite
me tira o sono
não quero dormir

Sinto que fizeste de mim um botão
prestes a florescer

Não consigo dormir pensando nos teus braços
me envolvendo sem pudor
porque onde habita meu ser tem teus braços
há braços
e são seus

Nenhum comentário:

Postar um comentário