Páginas

domingo, 15 de julho de 2012

A outra parte

Outro dia me perguntaram a quanto tempo estávamos juntos e me dei conta de que essa é a única resposta a nosso respeito que eu não tenho. Não lembro quanto tempo faz, talvez porque eu não tenha muitas lembranças de como a vida era antes dos teus olhos verdes. Mas lembro nitidamente do longo caminho que eu passei pra chegar até aqui, lembro do quanto doeu, do quanto eu senti, de quantas palavras eu não disse pra que se tornassem lágrimas, porque precisavam chorar. Quantas noites não dormi pensando nas tuas mãos, tentando encontrar algum sinal oculto do teu corpo que me dissesse que sim, que tu estavas ciente da nossa ligação desde o começo, que também viu o brilho dos meus olhos. Me lembro do Polo Norte inteiro no meu estômago quando te via chegar, das formigas pelo corpo quando se aproximava de mim, das minhas mãos sempre te tateando no espaço vazio entre nós. Lembro também do quanto todo esse tempo me ensinou a respeito de paciência, respeito, orgulho e redenção, porque tu foste o primeiro a me tirar do pedestal, o primeiro com quem minhas melhores armas não tinham utilidade nenhuma. Pela primeira vez na minha vida, eu não soube o que fazer, eu achei que não conseguiria. Mas aí entra a parte da paciência e da redenção, que me deram uma aula sobre mim mesma, extraindo as coisas ruins, reproduzindo as boas, contaminando de energia e de luz o meu caminho. E quando eu abaixei todas as armas, despi todos os meus pudores, desacreditei de todos os meus atributos e dei-me por vencida, tu vieste por ti mesmo e dominaste e te deixaste dominar por tudo o que sentíamos um pelo outro desde o momento inicial, quando nossa alma se repartiu em dois pedaços que foram jogados no mundo. A união dos pedaços perdidos de uma alma é uma profecia que se cumpre, um aprendizado que começa. E todos os dias eu aprendo a te aceitar e te entender, aprendo ainda mais sobre paciência e me permito não querer mais controlar tudo, me permito perder-me na imensidão de luz que são teus olhos, no mar de conforto que são teus abraços. Penso que todo o tempo que passei te esperando fazia parte do plano, aprender a lidar antes de possuir é uma lição importante para qualquer aspecto da vida e hoje vejo que nada poderia ter sido diferente, porque cada momento de tristeza, cada coisa que deu errado, serviu pra que se transformasse numa felicidade sem tamanho quando a jornada fosse cumprida. Eu passei todas as fases, enfrentei todos os perigos, destilei todo o meu sangue nessa complicada missão, porque eu sabia que no fim da estrada não teria dinheiro, não teria poder, não teria fama, no fim da minha estrada eu só vejo um par de olhos verdes me esperando pra partir. São muitas palavras, mas nenhuma delas explica a sensação de quando estamos completamente conectados, com um fluxo perfeito de energia, numa troca total de tudo o que há de bom dentro das nossas existências. É como se, por alguma razão desconhecida, minha alma habitasse dois corpos que, quando se encontram, colocam o eixo do mundo no lugar. Obrigada por descomplicar minha existência e me explicar que existir é importante, que o amor é importante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário