Páginas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Trance(nder)

São centenas de milhares de sentimentos, flash's de luz, sorrisos misturados a batidas, música dentro do seu coração. É a legítima sensação de não existir amanhã, de não importar o depois, de não suportar a ideia de que aquilo um dia vai ter fim. São seus pés imundos e descalços dos sapatos que cansaram de dançar, são pessoas batendo seus pés e mãos na terra como em um ritual de harmonia, respeito e renovação da alma. Há não muito tempo eu descobri um lugar mágico, um lugar onde tudo é real, desde a vista até as pessoas. Nesse lugar a natureza impera e o sol é o astro rei, aplaudido em pé por milhares de pessoas reunidas com um só intuito: transcender. Nesse lugar pouco importa se você tem ou não dinheiro, casa, carro ou bens materiais, não importa sua cor ou credo, desde que você também esteja lá, cedendo sua energia para que se misture com as outras e forme a atmosfera de luz que se cria em torno da pista. Depois de frequentar esse lugar tão especial algumas vezes, descobri que o mal jamais chega até lá, que as pessoas só emanam bons sentimentos e que é proibido o desrespeito, seja com uma pessoa, com um animal ou com uma planta. A música não requer instrumentos, muito menos banda. Basta um homem, aquele que nos controlará como marionetes por pouco mais, pouco menos de uma hora. Aquela pessoa está ali se dispondo a ajudar a todos os outros na sua jornada pelo mundo da lisergia e ele sabe que é responsável por cada vibração boa ou ruim que sair de seus beats. Mas esse lugar de paz, amor, harmonia e respeito vem sendo invadido e condenado pela mídia preconceituosa do nosso país. Somos julgados pelo nosso modo de vestir, de dançar, pela nossa música e pela nossa cultura que não faz nem nunca fez mal nenhum á ninguém. Somos seres de luz, que aprenderam a se libertar desse materialismo insustentável que vem tomando conta do nosso planeta. Apenas queremos um lugar bonito e preservado, longe da selva de pedra diária para que possamos descarregar nossas energias pesadas na grama, para que elas sejam filtradas e voltem á nós transformadas em amor! Enquanto bêbados saem ao volante, maníacos mutilam crianças e milhares de pessoas morrem de fome todos os dias, nosso governo e nossas redes sociais estão mais preocupados em condenar um grupo de pessoas que ouve um som tribal e dança descalço. Brasil, você não era um país de todos? "E aqueles que foram vistos dançando foram julgados loucos pelos que não podiam ouvir a música."

Nenhum comentário:

Postar um comentário